Associação de Agricultura Biodinâmica do Sul

Histórico

 

 A Associação de Agricultura Biodinâmica do Sul surgiu na região ao sul do Brasil em julho de 2001. Os objetivos são propagar os princípios da agricultura biodinâmica e também promover o conceito de inserção do organismo agrícola na paisagem local, levando em consideração a ecologia do ambiente, o meio social, técnico, econômico e cultural.

 

A agricultura biodinâmica tomou forma a partir de agricultores e várias pessoas que, tendo tomado conhecimento sobre o trabalho de Rudolf Steiner para a renovação da agricultura, de forma independente, durante as ultimas décadas, buscaram integrar suas iniciativas e as transformaram na ABDSul.

 

Nestes anos de existência, a ABDSul organizou vários cursos e palestras sobre a Agricultura Biodinâmica, e também elaborando preparados biodinâmicos, promovendo consultorias, buscando a aproximação entre agricultores e consumidores, formando um novo pensamento sobre a evolução da sociedade e o meio ambiente.

Seus projetos são dedicados para as agricultoras e os agricultores que desejam de alguma forma fomentar a vida orgânica e biodinâmica em suas unidades produtivas.

 

A ABDSul trabalha com organizações da sociedade civil como a Ecocitrus, a Associação dos Agricultores Agroecológicos do Alto Vale e Região, o Instituto Morro da Cutia de Agroecologia, empresas públicas como a Itaipu Binacional, a Universidade Federal de Santa Catarina, o Ministério do Desenvolvimento Agrário, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, a EMBRAPA, o SEBRAE, e outras. Membro ativo da Comissão da Produção Orgânica - CPOrg (MAPA) em Santa Catarina, desde o início de suas atividades.

A maioria dos projetos são executados com apoio do Instituto Mahle, e da Itaipu Binacional, e com doações de diferentes pessoas, em especial dos associados.

 

A partir do ano de 2010, a ABDSul ampliou suas atividades e iniciou debates internos sobre outros projetos, com o propósito de intensificar a presença e atuação dos associados e outros agricultores.

 

  • Implantado em 2012, o projeto de sementes estabeleceu um banco para armazenamento de sementes, nos dois estados onde a ABDSul atua. Nosso banco de sementes atualmente conta com 132 variedades. O projeto não tem prazo de término, e na safra atual temos campos de sementes nos dois estados;

 

  • Realizamos palestras com os antroposófos e agricultores biodinâmicos, para associados, na sede da ABDSUL;

 

  • Desde 2013, promovemos palestras em conjunto com o Programa de Pós-Graduação do Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), promovendo a biodinâmica na academia;

 

  • A ABDSul implantou um sistema participativo de certificação em 2013, visando o estímulo para a produção de alimentos biodinâmicos, e a emissão de certificados a produtores e processadores. Desde 2016 este sistema está credenciado no MAPA;

 

  • Concebeu e criou o Fundo de Publicação, no âmbito do Departamento de Comunicação, para a publicação de material de interesse. O primeiro livro a ser publicado será "Koberwitz 1924", de Peter Selg, que comenta o curso de agricultura biodinâmica dado por Rudolf Steiner no ano de 1924;

 

  • Organizamos, realizamos e apoiamos diferentes cursos, encontros e conferências que envolvem a agricultura biodinâmica, saúde animal, produção de sementes biodinâmicas e a nutrição humana; tendo como público alvo agricultora(e)s, interessado(a)s e suas associações;

 

  • Criamos e realizaremos em 2017 o Curso de Agricultura Biodinâmica; 

 

  • Implantamos o programa de estágios para estudantes e outros interessados, nos organismos agrícolas dos associados, promovendo a difusão de conhecimento e a prática na agricultura biodinâmica.